'http://imageshack.us/photo/my-images/33/blog502logo.jpg/’ rel=’shortcut.icon’

Diga Sim à Saúde! Diga Não à Dengue! Ciep Setor 6

Projeto: Dia do Índio- Todo Dia é Dia, de Índio é claro!





Dia do Índio: Atividades, jogos, desenhos para colorir, máscaras e muito mais
Projeto Dia do Índio
Ciep 01.02.502 Aveinada dos Desfiles
Professora:_____________________________________________________________
Tuma:EI-_____Ano:  Educação Infantil   Período:  Uma semana
Tema: Comemoração do Dia do Índio

1)   Justificativa:
Segundo o PCN, é preciso que o aluno conheça e valorize a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais.
O Dia do Índio é um resgate a nossa história e das nossas raízes.
O tema oportuniza o aluno perceber-se outros Grupos sociais, auxiliando-o na Construção da sua  identidade, Na atuação como o outro grupo na vida social, na Preservação do Meio Ambiente em que vive e na construção de valores.

2)   Objetivos:

Ø  Conhecer um pouco da história dos índios;
Ø  Objetivos Gerais:
Ø  Refletir e valorizar a pluralidade cultural que existe no Brasil.
Ø  Conhecer,analisar e debater os hábitos e costumes dos indígenas;
Ø  Refletir sobre a relação: brancos x índios;
Ø  Estimular a comemoração do dia do índio;
Ø  Trabalhar a Lei

3)   Metodologia:
Metodologia de Projetos:
Projeto é uma concepção de como se trabalha a partir de pesquisa"
(HERNÁNDEZ, 1998).
A idéia fundamental dos projetos como forma de organizar os conhecimentos escolares e que os alunos se iniciem na aprendizagem  de procedimentos que lhes permitam organizar as informações, descobrindo as relações que podem ser estabelecidas a partir de um tema ou um problema. O professor é um facilitador, favorece, recolhe e interpreta as contribuições dos alunos, no entanto, é ser ativo, criativo e crítico que contrasta as suas intenções com sua prática. Numa abordagem construtivista Ausubeliana, a aprendizagem significativa caracteriza-se pela interação entre o novo conhecimento e o conhecimento prévio.
4)   Sensibilização:

Ø  Roda de Conversa sobre o tema;
Ø  Vídeos sobre os índios: música, onde moram, como vivem, danças, brinacadeiras, diferentes tribos, etc;

5)   Desenvolvimento:

Ø  Capa dos trabalhinhos;
Ø  Construção de um livro de Receitas com culinária indígena .
Ø  Músicas sobres os índios.
Ø  Registros Através de textos e Desenhos.
Ø  Confecção um de mural .
Ø  Pesquisas.
Ø  Conversas Sobre o tema.
Ø  Confecção de cocar e chocalho.
Ø  Pintura no Rosto.
Ø  Desenhos para colorir.
Ø  Quebra - cabeça;
Ø  Jogo da memória sobre objetos indígenas;
Ø  Jogo da Memória sobre as expressões dos índios;
Ø  Desenho para pintar;
Ø  Atividade elemento que não faz parte da cultura indígena;
Ø  Pintar, recortar, e montar uma índia;
Ø  Pintar de acordo com a legenda;
Ø  Ligue os conjuntos;
Ø  Descobrir a palavra;
Ø  Confecção de máscaras indígenas;
Ø  Confecção de maquete;
Ø  Desenho, recorte e colagem com vários tipos de materiais da cultura indígena;
Ø  Apresentação de uma música sobre o dia do índio;

6)   Jogos e brincadeiras:
Curumim vai pra Oca!
Material: Arcos (bambolês)
Jogando:
Distribuir Os Arcos aleatoriamente Pelo Chão. Iniciar com a mesma quantidade de Crianças Participantes.
Como devem caminhar entre os arcos, ao sinal do professor "Curumim vai pra Oca!"
Devem entrar no arco.
Dica: Esta brincadeira Foi baseada na brincadeira COELHINHO SAI DA TOCA

7)   Materiais:

Ø  Atividades do blog (10/04/10 até 19/04/10);
Ø  Músicas sobre o Dia do Índio (Xuxa, Mara Maravilha);
Ø  Urucum (pode ser substituído por colorau alimentício);
Ø  Folhas secas;

8)   Culminância:
Ø  Atividades postadas no Blog;
Ø  Exposição de fotos e do livro de culinária indígena na Feira da Cultura.
Ø  Vídeo com as atividades realizadas.




9)   Avaliação:

Ø  Relatório individual e coletivo referende ao desenvolvimento do aluno.
Ø  A Avaliação Será processual Mediante o Desenvolvimento do Projeto, Observando a Participação, entusiasmo, Colaboração nas atividades Propostas constatar Eficácia do Trabalho.

Conteúdos para o professor!

História do Dia do Índio
No dia 19 de Abril é comemorado o dia do Índio, data criada em 1943, pelo então presidente, Getúlio Vargas, através do decreto de lei nº 5540.
Mas porque foi escolhido o 19 de abril?
Origem da data
Para entendermos a data, devemos voltar para 1940. Neste ano, foi realizado no México, o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano. Além de contar com a participação de diversas autoridades governamentais dos países da América, vários líderes indígenas deste contimente foram convidados para participarem das reuniões e decisões. Porém, os índios não compareceram nos primeiros dias do evento, pois estavam preocupados e temerosos. Este comportamento era compreensível, pois os índios há séculos estavam sendo perseguidos, agredidos e dizimados pelos “homens brancos”.
No entanto, após algumas reuniões e reflexões, diversos líderes indígenas resolveram participar, após entenderem a importância daquele momento histórico. Esta participação ocorreu no dia 19 de abril, que depois foi escolhido, no continente americano, como o Dia do Índio.

Comemorações e importância da data
Neste dia do ano ocorrem vários eventos dedicados à valorização da cultura indígena. Nas escolas, os alunos costumam fazer pesquisas sobre a cultura indígena, os museus fazem exposições e os minicípios organizam festas comemorativas. Deve ser também um dia de reflexão sobre a importância da preservação dos povos indígenas, da manutenção de suas terras e respeito às suas manifestações culturais.
Devemos lembrar também, que os índios já habitavam nosso país quando os portugueses aqui chegaram em 1500. Desde esta data, o que vimos foi o desrespeito e a diminuição das populações indígenas. Este processo ainda ocorre, pois com a mineração e a exploração dos recursos naturais, muitos povos indígenas estão perdendo suas terras.
O material apresentado é resultado de pesquisas na web: atividades, jogos, desenhos para colorir, máscaras e demais conteúdo que possa ser apresentado por professores a alunos do ensino infantil e fundamental. Afinal, não há oportunidade melhor para mostrar a importância da cultura indígena no país.
É importante alertar aos educadores e educandos sobre a importância da aplicabilidade das Leis Federais 10.639/03 e a 11.645/08, que obrigam o ensino de História da África, Cultura Afrobrasileira e Indígena nos estabelecimentos de ensino públicos e particulares.
Você Sabia...

1.Se você gosta de comer milho quente, curau e pamonha saiba que os índios da América do Sul foram os primeiros a cultivar o milho. Feijão, abóbora, alcachofra e maracujá também foram descobertos e cultivados por eles.
2.Só os chefes usam cocar. Ele é um símbolo de poder dentro da aldeia. Cada cor do cocar tem um significado. Para os índios caiapós, o verde representa as florestas onde moram os animais e os espíritos dos mortos, o amarelo simboliza as mulheres, as casas e as plantações e o vermelho, os homens, bem no centro do cocar.
3.Cada tribo tem um pajé. Ele é o líder espiritual e uma espécie de médico dos índios. O pajé é quem escolhe o nome das crianças depois de pedir inspiração para os seres da natureza e consultar Deus.
4.Alguns índios falam línguas muito diferentes do português. Muitas palavras do nosso vocabulário vieram deles. Quer vê só? Pipoca, canjica, mingau, abacaxi, pitanga, jabuticaba, jabuti, arara, perereca, tatu, Araraquara, Sorocaba, Paraíba, Manaus, Paraná, Pernambuco, Curitiba, mandacaru, peteca, araponga, caipora (caipira), capoeira, catapora...
5.Você é uma pessoa cheia de nhenhenhém? Saiba que essa palavra vem do tupi e quer dizer conversa jogada fora, ou seja, blablablá.
6.Para muitos povos indígenas, assim que o indiozinho ou a indiazinha nasce, o pai corta carinhosamente o cordão umbilical com os dentes. Depois, fica de resguardo até que o resto do cordão caia. Para eles, o nascimento de um filho depende do pai. Já a mãe, gera o bebê.
7.Os yanomâmis são uma das maiores nações indígenas do mundo e se dividem em grupos com línguas diferentes. Estão no Amazonas, em Roraima e na Venezuela. Em suas aldeias, há uma grande casa redonda em que todos vivem juntos. Lá dentro, cada família tem seu lugar para acender sua fogueira e estender suas redes.
8.Os xavantes moram no Mato Grosso e têm uma tradição importante: os meninos entre 12 e 13 anos vão para uma casa chamada Hö. Ficam por cinco anos e aprendem a pescar, caçar e seguir os rituais do povo. Quando saem, estão prontos para a vida adulta.
9. As meninas carajás são separadas da família quando se tornam adolescentes. Elas ficam trancadas em um quarto da casa. Durante três meses, elas não podem conversar com ninguém enquanto aprendem a construir cestos, fazer comida e pintar corpos. Depois uma grande festa cheia de máscaras serve para apresentá-las para a aldeia. As indiazinhas já se tornaram mulheres e podem se casar.
10. Os bororos vivem no Mato Grosso. Em sua sociedade, quem faz o pedido de casamento é a mulher, que prepara comida e leva para o rapaz. Se ele comer, é sinal de que o namoro tem chance de dar certo. Em troca, ele deve levar uma caça para a família dela.
        
COMO VIVEM

Como vivem os índios?
Quando observamos uma aldeia indígena na televisão ou em revistas podemos perceber que o modo de vida dos índios é bem diferente do nosso, não é mesmo? Pois realmente é, mas com aspectos interessantes que valem a pena conhecer!
Os índios vivem de forma muito organizada e harmônica. Cada tribo tem um cacique, que é o chefe e um pajé, que é uma espécie de médico para eles. Os pajés conhecem tudo sobre males do corpo e do espírito e também quais as plantas e ervas que podem ser utilizadas em cada caso.
A aldeia onde vivem é chamada de taba e nela existem dois tipos de casas: as simples, onde vivem apenas uma família e são chamadas de ocas e as casas coletivas, que são chamadas de malocas.
As casas são construídas com uma mistura de barro e sua estrutura é sustentada por pedaços de madeira. Para fazer os telhados, os índios utilizam palha trançada ou grandes folhas de árvores.
Esta forma de construção é barata e segura para algumas regiões sem muitas variações climáticas, por isso é utilizada em alguns locais do Brasil, principalmente no Nordeste e na Amazônia. São as casas de pau-a-pique.
ONDE VIVEM

Onde estão os índios brasileiros?
Vivem em áreas espalhadas por todos os Estados, mas a maior parte das terras e da população indígena está mesmo é na Amazônia.
Como é a língua indígena?
Você acha que os índios falam outra língua? Não é bem assim!!! Os povos que habitavam o litoral do Brasil usavam principalmente a língua Tupi e muitas palavras da língua portuguesa tem origem no tupi-guarani. Quer conhcer algumas? Veja só: arara, capim, catapora, cipó, cuia, cumbuca, cupim, jabuti, jacaré, jibóia, jururu, mandioca, mingau, minhoca, paçoca, peteca, pindaíba, pipoca, preá, sarará, tamanduá, tapera, taquara, toca, traíra, xará... Muitas, não? E pode ter certeza que há muito mais!
SUAS ARMAS

Os índios sempre foram valentes! Eles utilizam vários tipos de armas, confeccionadas pelos homens da tribo e que não tem apenas a finalidade de guerrear, mas também são utilizadas para a caça. As armas indígenas são bem diferentes das que conhecemos, pois não utilizam metais e sim materiais disponíveis na natureza, como madeira, ossos e principalmente pedras. Vamos conhecer algumas armas indígenas?
ARCO E FLECHA É a principal arma dos indíos. Devido à sua cultura, as atividade de caça são constantes entre os homens que, desde a infância, treinam com os arcos e adquirem grande habilidade em seu manejo. Os arcos são de madeira e o alcance da flecha pode atingir 30 metros.
BORDUNA Esta é uma arma importante para a guerra e só é usada nessas ocasiões, sendo muito diferente do arco e flecha que tem utilização diária. A borduna é uma arma muito simples: um pau pesado em uma extremidade, que causava danos pelo impacto direto.
LANÇA A lança é uma arma menos utilizada e tem também a função específica na caça e pesca. Existem lanças de uso a pé ou a cavalo.
UTENSÍLIOS DOMÉSTICOS

Existem algumas coisas que utilizamos em nosso cotidiano que nem damos mais muita importância, não é mesmo? Um colar, um pente ou mesmo uma vasilha para colocar o arroz. Quem se lembra desses utensílios com frequência e guarda como se fossem os únicos?
Pois os índios confeccionam todos esses objetos e dão muito valor a eles. Os índios acreditam que não são eles que produzem esses utensílios, mas uma força superior, que "comanda" as mãos deles durante a confecção. Assim eles dão muito valor a tudo que fazem, principalmente o que é usado nos rituais.
Veja quantos utensílios diferentes os índios produzem:
Cerâmicas feitas pelas mulheres, que usam barro adequado, muitas vezes misturam argila, grânulos diversos ou cacos velhos bem triturados. São utilizados para buscar, guardar e servir água, para preparar e servir bebidas fermentadas de milho e mandioca, para armazenar produtos e cozinhar os alimentos.
Ferramentas como machados, feitos em pedras que servem para a derrubada do mato.
Adornos* feitos com dentes, penas e unhas de animais ou com rodelas de casca de caramujos.
ATIVIDADES:

















Mais imagens para trabalhar com os alunos!











Referências:
BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes currículares nacionais para a educação das relações étnico- raciais e para o ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. [Brasília]: [s.l], 2003. 151p.
_________. Lei n.° 11. 645, de 10 de março de 2008. Que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “Historia e Cultura Afro-Brasileira e indígena. República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível em: < https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 04 de abril de 2011.
_________. Lei. 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.639.htm>.>. Acesso em: 04 de abril de 2011.
Fontes:
 http://www.webartigos.com/articles/37249/1/Leis-Federais-1063903-e-1164508/pagina1.html#ixzz1Iat59Y30
http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/dia_do_indio.htm
http://recreionline.abril.com.br/fique_dentro/conhecimento/datas/conteudo_49616.shtml?/vc_sabia/vocesabia_49613.shtml

 



Postagens populares

Educação Infantil

Educação Infantil
Ciep 01.02.502 Avenida dos Desfiles
http://www.goear.com/listen/5f41dd5/aquarela-toquinho

Dengue

Dengue

Cada um fazendo a sua parte, a dengue pode ser evitada. É simples!

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Twitter
Clique com o botão direito do mouse no passarinho para abrir em nova janela e/ou nova guia, assim você não sai do Bloguinho!

Entre em contato conosco!

Entre em contato conosco!
E-mail-me: jornalzinhociep502@gmail.com
  • Aguardamos o seu contato
  • Loading...

    Pesquisar este blog

    Carregando...